CÓDIGO DE HONRA DAS MULHERES CELTAS

janeiro 30, 2011 Brydea Arianëll 0 Comments



 
 ” As mulheres de origem celta eram criadas tão livremente quanto os homens.
Eram ensinadas a trabalhar para que pudessem garantir seu sustento, educadas desde cedo para tratarem do lar, dos alimentos, da agricultura, das curas e dos segredos das plantas e da magia, assim como eram  ensinadas a caçar e lutar,  bem como a serem excelentes amantes, donas de casa e mães. 
E tal como aos homens, era-lhes ensinada desde cedo a Honra por elas mesmas, pela Família e a sua Tribo. A Elas, era-lhes dado o direito de escolherem os seus parceiros e nunca poderiam ser forçadas a uma relação que não quisessem. Uma mulher divorciada retinha as suas propriedades, mais o dote, e ainda podia exigir um terço à metade da riqueza do marido.
 
Elas Assim aprendiam:
 
 
" Ama o teu homem e segue-o, mas apenas se ambos representarem um para o outro o que a Deusa Mãe ensinou: amor, companheirismo e amizade.
 
Jamais permitas que homem algum te escravize. Nascestes livre para amar, e não para ser escrava.
 
Jamais permitas que o teu coração sofra em nome do amor. Amar é um ato de felicidade, por que sofrer?
 
Jamais permitas que teus olhos derramem lágrimas por alguém que nunca te fará sorrir.
 
Jamais permitas que o uso do teu próprio corpo seja desrespeitado. Lembra te que o corpo é a morada do espírito, para que mantêm-lo aprisionado?
 
Jamais permitas que o teu nome seja pronunciado em vão por um homem cujo nome tu sequer sabes.
 
Jamais permitas que o teu tempo seja desperdiçado com alguém que nunca terá tempo para ti.
 
Jamais permitas ouvir gritos em teus ouvidos. O Amor é o único que pode falar mais alto.
 
Jamais permitas que as paixões desenfreadas te transportem de um mundo real para outro que nunca existiu.
 
Jamais permitas que outros sonhos se misturem aos teus, tornando-os num grande pesadelo.
 
 Jamais acredites que alguém possa voltar quando esse alguém nunca esteve presente.
 
Jamais permitas que o teu útero gere um filho que nunca terá um pai.
 
Jamais permitas viver na dependência de um homem como se tivesse nascido inválida.
 
Jamais te ponhas linda e maravilhosa  por um homem que não tenha olhos para admirar-te.
 
Jamais permitas que os teus pés caminhem em direcção a um homem que só foge de ti.
 
Jamais permitas que a dor, a tristeza, a solidão, o ódio, o ressentimento, o ciúme, o remorso e tudo aquilo que possa tirar o brilho dos teus olhos te dominem, fazendo arrefecer a força que existe em Ti.
 
E, sobretudo, jamais permitas que tu própria percas a dignidade de ser Mulher.
 

Imagem by Kate McCredie

Texto recolhido na Internet e adaptado por Brydea de fonte Desconhecida

 
 

Também Poderá Gostar

0 comentários:

Blog Protegido

MyFreeCopyright.com Registered & Protected


Todos os artigos presentes neste blog são da autoria da Brydea Arianell e pertencem ao blog Murmúrios das Brumas Sussurro das Estrelas, salvo quando mencionado o contrario.

Respeitem o Tempo e Trabalho partilhado e se forem fazer uso de textos deixem sempre o nome do autor e a fonte dos textos quando possível.

Caso os artigos sejam encontrados online sem ter sido dado o especifico crédito, será feita uma queixa ao servidor por violação dos direitos de autor o que pode levar ao cancelamento da conta.

Murmúrios das Brumas Sussurro das Estrelas©

2009-15 Todos os Direitos Reservados

MyFreeCopyright.com Registered & Protected